Blog de Formação

Juventude e Igreja



By  Juventude Franciscana JUFRA) do Brasil     11:38     


“A Igreja olha para si mesma nos jovens. Vocês, jovens, são a esperança da Igreja que, precisamente sob estes aspectos (paz no mundo e justiça dos homens), em vocês se vê a si mesma e a sua missão no mundo. O caminho da paz é o caminho dos jovens”. (João Paulo II)

AMBIENTE: Jovens em círculo com a presença da cruz de São Damião.
ORAÇÃO INICIAL: Oração de São Francisco de Assis ou Oração do Jufrista.
ILUMINAÇÃO BÍBLICA: Lucas 10, 1-11
TEXTO:
Vivemos em um mundo pós-moderno em que ser jovem é estar na ‘moda’ (redes “sociais”, consumismos, individualismos, perca de valores), e isso, na visão de muitos, talvez não inclua a vida na Igreja, por exemplo. O que se percebe, cotidianamente, é que poucos são os jovens que encaram com naturalidade o compromisso com a fé, que mostram o rosto e afirmam “eu faço parte da igreja católica”.
Mas, o que significa esse ‘fazer parte da Igreja’ ou ‘ser Igreja’?
Segundo o Documento 85 da CNBB “Jesus envia a Igreja ao mundo para dar continuidade à sua obra”, pode-se afirmar com isso, quea Igreja é uma organização de pessoas que professam da mesma fé e assumem o projeto de Jesus Cristo para suas vidas. Ou seja, todos nós constituímos a Igreja, todo batizado é Igreja.
Este breve conceito é importante para refletirmos qual o papel do jovem nela. São Francisco de Assis há muitos anos, diante do Crucificado, ouviu do Senhor:“Francisco, vai e restaura a minha casa. Vês que ela está em ruínas!” (LM 2,1); sem pensar duas vezes, Francisco iniciou uma reforma nas estruturas físicas da igrejinha de São Damião. Com o tempo, percebeu que o desejo do Pai era de uma mudança estrutural, mudança de valores na Igreja da época.
Sabe-se que a igreja nos três primeiros séculos depois de Cristo possuía características de simplicidade, partilha, vida de oração, missão, entre outras, que Francisco buscou reavivar na Igreja de sua época, a qual era sinônimo de poder e controle. É possível, neste contexto,visualizar a grande missão que possuímos – como cristãos franciscanos – dentro da Igreja: a de sermos evangelizadores e divulgadores do verdadeiro sentido que ela representa nomundo em que vivemos.
O documento traduz ainda, que “a evangelização exige testemunho de vida, anúncio de Jesus Cristo e adesão a Ele, adesão à comunidade, participação na missão da Igreja e transformação da sociedade. Evangelizar implica, em primeiro lugar, proporcionar o anúncio querigmático da pessoa de Jesus Cristo. Em seguida, esta experiência deverá ser aprofundada em grupos de convivência que devem conduzir catequeticamente a uma maturidade na fé e prontidão para serdiscípulo e protagonista na construção do Reino de Deus por toda a vida, buscando a transformação da sociedade”.
De fato, a juventude necessita estar mais presente na Igreja, se sentir parte dela para então ser agente transformador. Porém, é importante salientar que, assim como São Francisco, para entender o papel evangelizador é preciso o encontro pessoal com Cristo, é preciso ser evangelizado. 
Com isso, além de se sentir igreja, o jovem necessita assumir individualmente o seu papel evangelizador e transformador do meio em que está inserido, sem deixar de lado as características da juventude, do mundo dito pós-moderno. É possível, mesmo diante das muitas dificuldades e opções que o mundo nos apresenta, viver o Evangelho de um jeito jovem, buscando ser exemplo vivo dos valores cristãos e franciscanos.
Neste ano da fé, com a campanha da fraternidade voltada aos jovens, é muito importante refletir a realidade da juventude e da igreja, se ambas estão sendo cúmplices, se estamos sendo evangelizados e evangelizadores. Desse modo, igreja e juventude necessitam caminhar em unidade, fazendo com que, através do comprometimento com nosso papel, a Igreja consiga cada vez mais ter um rosto jovem, o qual traduza o desejo de Seu Criador, promovendo a paz e o bem.
REFLEXÕES:
- Entendo meu papel e responsabilidade junto à Igreja?
- Estamos sendo jovens evangelizadores – exemplo – no meio em que vivemos?
- A fraternidade está participando efetivamente da vida da Igreja – comunidade em que está inserida?
- O que posso fazer para melhorar a relação jovem – igreja?
DINÂMICA DE TRABALHO: Dividir os participantes em grupos para discutir os questionamentos. Após, fazer uma partilha sobre as discussões e conclusões.
SUGESTÕES DE MÚSICA: Senhor que queres que eu faça; Cristo, quero ser instrumento.
“Ide e fazei discípulos entre todas as nações” Mt 28,19
Paz e bem!

Ariana Baccin dos Santos
Subsecretária Regional de Formação – Sul 3 - RS

Sobre Juventude Franciscana JUFRA) do Brasil

A Juventude Franciscana (JUFRA) é uma proposta de vivência cristã destinada a jovens que, por vocação, carisma ou índole, se comprometem com o ideal de vida inspirado na espiritualidade franciscana A JUFRA é, ou deve ser, um monte de gente nesse mundão a fora, que tomou consciência de que: primeiro, deve esforçar-se para melhorar o mundo; segundo, que a melhora do mundo começa a partir de si mesmo; e que é preciso no mundo uma escola que ajude as pessoas a tomarem consciência disso. (Essa escola é a própria JUFRA) A JUFRA tem estilo e características próprias. Por isso nessa fraternidade de jovens, os jufristas assumem todos os deveres e, por conseguinte, gozam de todos os direitos inerentes ao compromisso franciscano de vida secular Segundo o Estatuto da JUFRA do Brasil, ela é uma associação civil com caráter e objetivos dentro exclusivamente dos campos Religioso, Educacional e Social.