Blog de Formação

FESTA DE CRISTO REI - CELEBRAÇÃO FRANCISCANA



By  Juventude Franciscana JUFRA) do Brasil     17:27     

Ambiente: O ambiente pode ser preparado com uma cruz, se possível de São Damião, ao lado do círio pascal (afinal é a morte e ressurreição do Senhor, Rei do Universo, que estamos celebrando). Podem ser colocadas as imagens de São Francisco e Santa Clara, diante da cruz. O livro dos Evangelhos (bíblia) também não pode faltar, nele está a nossa forma de vida e nossa ressurreição!

Mantra inicial: Eu te louvarei Senhor, de todo meu coração (2x).
Com os irmãos reunidos a ti cantarei louvores (2x)

ACOLHIDA
Animador: Queridos irmãos e irmãs, Paz e Bem!
Estamos reunidos para celebrar em fraternidade a solenidade de Cristo Rei do Universo. Isso é motivo de muita alegria para todos nós! 
Essa celebração marca o final do ano litúrgico e por isso podemos bendizer ao Altíssimo Senhor por tanto Bem experimentado, com toda Igreja, nas celebrações do mistério pascal de Cristo, em cada tempo específico.
De modo especial, neste ano, celebramos também, a pedido do papa emérito Bento XVI, o encerramento do Ano da Fé. Percorremos este tempo rezando e pedindo a Deus, o Sumo Bem, a graça da fé e agradecendo por nos ter instruídos no caminho de Jesus Cristo.
Deixemo-nos tocar pela força do Espirito de Deus e, assim como Francisco e Clara, percebermos em que consiste esse Reinado de Cristo que estamos celebrando. 
Que este momento de graça seja em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo!
Todos: Amém!

ORAÇÃO DIANTE DO CRUCIFICADO
Animador: Francisco no início do seu processo vocacional, diante da cruz de São Damião, rezou a Deus pedindo clareza na vocação e recebeu a missão de reconstruir a Igreja.  Agora, como continuadores deste projeto divino, rezemos a mesma oração feita por nosso Seráfico Pai e acima de tudo, desejemos nos envolver pelos mistérios do Senhor.

Todos:Altíssimo, glorioso Deus, iluminai as trevas do meu coração. Dai-me uma fé reta, uma esperança certa e caridade perfeita, sensibilidade e conhecimento, ó Senhor, a fim de que eu cumpra o vosso santo e veraz mandamento”.

RECONCILIAÇÃO
Animador: Celebrar a grandeza de um Rei, que é Senhor do Céu e da Terra, exige de nós, em nossa pequenez, reconhecer nossa fraqueza. Somos discípulos de Jesus e convidados a perpetuar o carisma franciscano. Cantando, peçamos perdão ao Senhor pelas nossas falhas e aos irmãos e irmãs pelo nosso contra testemunho dado muitas vezes.
Recordando o nosso batismo, lavemo-nos diante de Deus e da fraternidade, purificando nosso coração para bem acolher os mistérios de Deus em nossa vida.
(preparar um recipiente com agua e cada irmã (o) se aproxima e toca na água, pode-se até mergulhar as duas mãos, para isso providenciar também toalhas).

Enquanto isso se canta:

Banhados em Cristo, somos uma nova criatura,
As coisas antigas já se passaram somos nascidos de novo.
Aleluia, aleluia, aleluia.

Animador: Deus de infinita bondade e misericórdia tenha compaixão de nós, ensina-nos a seguir os teus caminhos, perdoa os nossos pecados e nos conduza à Vida eterna.
Todos: Amém!

LITURGIA DA PALAVRA
Animador: (Assentados). Seguir Jesus Cristo é a vocação de todos os cristãos. Nós franciscanos, em união com todas as criaturas nos dispomos a caminhar guiados pelo exemplo de São Francisco e Santa Clara, servindo a toda criatura com alegria e disponibilidade. Nossa minoridade é evangélica e se fundamenta, sobretudo, em três instantes da vida de Jesus. A encarnação, a eucaristia e a cruz. Ouçamos o que nos diz as fontes franciscanas:

Leitor 1: Leitura da Legenda Maior de São Boaventura (LM 10, 7, 1-6)

Três anos antes de sua morte, resolveu celebrar com a maior solenidade possível, perto de Greccio, a memória da Natividade do Menino Jesus, a fim de aumentar a devoção dos habitantes. Mas para que ninguém pudesse tachar esta festa de ridícula novidade, pediu e obteve do Sumo Pontífice licença para celebrá-la. Francisco mandou, pois preparar um presépio e trazer muito feno, juntamente com um burrinho e um boi, dispondo tudo ordenadamente; reuniram-se os Irmãos chamados dos diversos lugares; acorreu o povo, ressoaram vozes de júbilo por toda parte e a multidão de luzes e archotes resplandecentes juntamente com os cânticos sonoros que brotavam dos peitos simples e piedosos transformaram aquela noite num dia claro, esplêndido e festivo. E Francisco lá estava diante do rústico presépio em êxtase, banhado de lágrimas e cheio de gozo celestial. Principiou então a missa solene, na qual Francisco, que oficiava como diácono, cantou o Evangelho. Pregou em seguida ao povo e falou-lhe do nascimento do Rei pobre a quem ele chamava com ternura e amor de Menino de Belém. Para o louvor de Cristo.

Todos: Amém!

(Canta-se o refrão)
||: A gente pode ser muito mais feliz, seguindo exemplo de Francisco de Assis :||

Leitor 2: Leitura da Primeira Admoestação de São Francisco (Adm 1, 14-22)
Portanto, "ó filhos dos homens, até quando tereis duro o coração?". Por que não reconheceis a verdade "nem credes no Filho de Deus"? Eis que Ele se humilha todos os dias; tal como na hora em que, "descendo do seu trono real" para o seio da Virgem, vem diariamente a nós sob aparência humilde; todos os dias desce do seio do Pai sobre o altar, nas mãos do sacerdote. E como apareceu aos santos apóstolos em verdadeira carne, também a nós se nos mostra hoje no pão sagrado. E do mesmo modo que eles, enxergando sua carne, não viam senão sua carne, contemplando-o contudo com seus olhos espirituais creram nele como no seu Senhor e Deus, assim também nós, vendo o pão e o vinho com os nossos olhos corporais, olhemos e creiamos firmemente que está presente o santíssimo corpo e sangue vivo e verdadeiro. E desse modo o Senhor está sempre com os seus fiéis conforme Ele mesmo diz: "Eis que estou convosco até a consumação dos séculos". Para o louvor de Cristo.

Todos: Amém!

(Canta-se o refrão)
||: A gente pode ser muito mais feliz, seguindo exemplo de Francisco de Assis :||

Leitor 3: Leitura da Legenda dos Três Companheiros.

Francisco os abençoou. Eles se foram devotamente e observaram as suas advertências. Quando encontravam alguma igreja ou cruz, ajoelhavam-se para rezar e devotamente diziam: "Nós te adoramos, ó Cristo, e te bendizemos, em todas as tuas igrejas que estão no mundo inteiro, porque pela tua santa cruz remiste o mundo".  Pois qualquer igreja ou cruz que encontrassem para eles era lugar consagrado a Deus. Para o louvor de Cristo.

Todos: Amém!


(Canta-se o refrão)
 ||: A gente pode ser muito mais feliz, seguindo exemplo de Francisco de Assis :||
Animador: Nossa forma de vida é viver o Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo. Podemos dizer, simbolicamente, que o trono do nosso Rei Jesus é para Francisco, a manjedoura, o altar e a cruz. Por mais escandaloso que isso possa parecer, Jesus apresenta um novo reinado, que é o da simplicidade, do serviço e da entrega de si mesmo. Com alegria, em pé, vamos aclamar esse Evangelho que é nossa forma de vida, cantando:
||: Aleluia, aleluia, a minh’alma abrirei. Aleluia, aleluia, Cristo é meu Rei. :||
Animador: O Senhor esteja convosco
Todos: Ele está no meio de nós!
Animador: Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas
Todos: Glória a vós Senhor!
Naquele tempo, os chefes zombavam, dizendo: “A outros ele salvou. Salve-se a si mesmo, se, de fato, é o Cristo de Deus, o Eleito!” Os soldados também zombavam dele; aproximavam-se, ofereciam-lhe vinagre e diziam: “Se és o rei dos judeus, salva-te a ti mesmo!” Acima dele havia um letreiro: “Este é o Rei dos Judeus”. Um dos malfeitores crucificados o insultava, dizendo: “Tu não és o Cristo? Salva-te a ti mesmo e a nós!” Mas o outro o repreendeu: “Nem sequer temes a Deus, tu que sofres a mesma pena? Para nós, é justo sofrermos, pois estamos recebendo o que merecemos; mas ele não fez nada de mal”. E acrescentou: “Jesus, lembra-te de mim, quando começares a reinar”. Ele lhe respondeu: “Em verdade te digo: hoje estarás comigo no Paraíso”. Palavra da Salvação.
Todos: Glória a vós Senhor!
Instante de Silêncio (assentados).
(pode-se fazer uma partilha dos textos franciscanos e da palavra de Deus)

PROFISSÃO DE FÉ
Animador: Somos chamados, pelo próprio Cristo, a acolhermos a vontade de Deus em nossa vida. Damos nossa resposta pela fé e com o desejo de sermos sempre fiéis a nossa vocação. Por isso, em comunhão com toda a Igreja, neste encerramento do Ano da Fé, vamos rezar e professar o que acreditamos como cristãos:
Todos: Creio em Deus Pai todo poderoso...

PAI NOSSO
Animador: E cumprindo agora a vontade do Pai, rezemos como Ele mesmo nos ensinou:
Todos: Pai nosso que estais nos céus...

ORAÇÃO DO DIA
Animador: Deus eterno e todo poderoso, que dispusestes restaurar todas as coisas no vosso amado Filho, Rei do universo, fazei que todas as criaturas, libertas da escravidão e servindo à vossa majestade, vos glorifiquem eternamente. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
Todos: Amém!

BENÇÃO FINAL
Animador: O Senhor esteja convosco!
Todos: Ele está no meio de nós!
Animador: O Senhor vos abençoe e vos guarde!
Todos: Amém
Animador: O Senhor volva para vós a sua face e se compadeça de vós!
Todos: Amém
Animador: O Senhor volva para vós o teu olhar e vos dê a paz!
Todos: Amém
Animador: O Senhor vos abençoe, Pai, Filho e Espírito Santo
Todos: Amém

Animador: Como irmãos, celebrando o novo reinado de Cristo, nos saudemos com Paz e Bem!


                                   Frei José Aécio Oliveira Filho, ofm

Sobre Juventude Franciscana JUFRA) do Brasil

A Juventude Franciscana (JUFRA) é uma proposta de vivência cristã destinada a jovens que, por vocação, carisma ou índole, se comprometem com o ideal de vida inspirado na espiritualidade franciscana A JUFRA é, ou deve ser, um monte de gente nesse mundão a fora, que tomou consciência de que: primeiro, deve esforçar-se para melhorar o mundo; segundo, que a melhora do mundo começa a partir de si mesmo; e que é preciso no mundo uma escola que ajude as pessoas a tomarem consciência disso. (Essa escola é a própria JUFRA) A JUFRA tem estilo e características próprias. Por isso nessa fraternidade de jovens, os jufristas assumem todos os deveres e, por conseguinte, gozam de todos os direitos inerentes ao compromisso franciscano de vida secular Segundo o Estatuto da JUFRA do Brasil, ela é uma associação civil com caráter e objetivos dentro exclusivamente dos campos Religioso, Educacional e Social.