Blog de Formação

MEIO AMBIENTE E ECOLOGIA: UMA VISÃO FRANCISCANA



By  Juventude Franciscana JUFRA) do Brasil     17:18     
 
(Proposta de Encontro Formativo)
Ø  Preparação do ambiente: Pequenos frascos ou potes contendo um pouco de terra, água e flores e uma vela média. Páginas recortadas de jornais e revistas contendo imagens de animais ou reportagens sobre poluição e desrespeito ao meio ambiente. Uma imagem de São Francisco e do Cristo Crucificado.

Ø  Oração Inicial:
ORAÇÃO DO JOVEM FRANCISCANO

Senhor o que queres que eu faça? Coloco-me diante de tí, com a mesma pergunta de São Francisco de Assis. Como ele, desejo ser simples, humilde, irmão de toda criatura. Hoje venho louvar-te pela natureza toda, o sol, as plantas, a água, as aves, os animais, o homem, sinais de tua presença e de tua bondade imensa. Quero ser instrumento em tuas mãos para transmitir a Paz neste mundo cheio de guerras e semear o Bem onde há tanto ódio. Iluminai-me Senhor, para que eu possa escolher o caminho que apontas para mim. Que saiba descobrir qual a minha vocação. Que consiga realizar em minha vida a tua santíssima vontade. Que possa imitar o Cristo, seguindo os passos de São Francisco de Assis. Amém.
Devocionário Franciscano


Ø  Texto para Reflexão:
Vivemos nos dias atuais uma época de acontecimentos estranhos e fatos inusitados que se manifestam em relação ao clima e ao aparecimento de grandes problemas nas áreas produtoras de alimento do planeta.
Tais problemas se devem a má influência do modo de vida que a humanidade escolheu para seguir, que promove uma grande pilhagem dos recursos naturais que nosso mundo tem a oferecer e, por isso, esse mesmo planeta que nos acolheu, tende a tentar “se livrar” de nossa presença como se fôssemos um corpo estranho. Deixamos o planeta fraco e doente e, através de práticas danosas, provocamos a ira da “mãe natureza” e encontramos a encruzilhada de nossas existências.
Essa mudança de rumos deverá ser traçada através de uma mudança de pensamentos e atitudes que precisamos praticar com mais intensidade, tendo em vista uma educação ambiental mais concreta, adotar práticas que visem a sustentabilidade e praticar mais atividades que levem à diminuição de impactos negativos nos ecossistemaque nos circundam e nos mantêm.
É muito fácil permanecermos no discurso em favor do meio ambiente, mas a real verdade é que, como frutos da sociedade a que pertencemos, ainda possuímos atitudes que fazem com que quebremos certos vínculos de sustentabilidade ecológica com o meio ambiente que nos cerca. É muito fácil jogar um papel de bala na rua, ou desperdiçar água sem nenhum motivo significativo, ou ainda, esquecer-se de fazer a coleta do lixo de forma adequada e acabar descartando parte desse lixo perto de ambientes naturais que são de suma importância para o meio que se vive. Fatos como esses, por exemplo, acontecem todos os dias e fazem com que o amor de Francisco pela natureza ainda seja mal e pobremente interpretado. 
Entre os santos e homens ilustres que tiveram um singular “culto” pela a natureza, como magnífico dom feito por Deus à humanidade, inclui-se justamente São Francisco de Assis. Com efeito, ele teve um grande apreço a todas as obras do Criador, das quais, através do amor que ele adotava a toda criação, ele cuidava e não só tratava, mas também os chamava de irmãos. Com inspiração quase sobrenatural, compôs o belíssimo Cântico das Criaturas, através do qual rendeu ao onipotente e Bom Senhor o devido louvor, glória, honra e toda bênção.
A relação de amor que Francisco possuía com toda a natureza inspiraram inúmeros homens e mulheres a criarem o verdadeiro respeito e cuidado com o meio ambiente, pois é através de uma relação filial com Deus, a quem sentimos ser nosso pai, e de uma relação fraterna com outros homens, que surge o amor e o respeito por todas as criaturas. Mas será que estamos fazendo valer esse amor e respeito que Francisco nos ensinou e que tanto fazem parte em nosso carisma?
Na vivência Franciscana, há uma valorização especial da natureza e de suas potencialidades. Sendo assim, para o verdadeiro franciscano, o trabalho humano não é e nem pode ser executado acima ou contra a natureza, mas dentro dela mesma, respeitando-a e amando-a. Será que essa valorização vem sendo praticada ou pelo menos discutida por grande parte das pessoas e principalmente por todos nós membros da fraternidade?
Devemos ter em vista que pensamentos como esse devem fazer parte de nossas ações, seja dentro ou fora da fraternidade, pois a exemplo de Francisco, o amor e a valorização por todas as criaturas, não devem ser apenas praticados ou vivenciados, mas acima de tudo tem que ser sentidos dentro de nossos corações primeiramente, para que possamos ter o verdadeiro ponto de partida e sabermos qual o nosso papel de contribuidores na natureza que nos cerca.

Ø  Proposta de Reflexão
Essa dinâmica visa o encontro pessoal do jovem com Cristo através da percepção de que ele mesmo faz parte da natureza como complemento e que suas atitudes e ações ecológicas de preservação e sustentabilidade, mostram que o homem é uma peça fundamental para o equilíbrio do Cosmo.
Esse roteiro foi feito para ser realizado em ambientes fechados, mas se o grupo puder ir a um ambiente externo, com árvores e outros elementos naturais seria melhor.
·         Espalhar no chão o recipiente contendo areia e pedir para que os participantes, com os pés descalços, possam caminhar sobre a areia. Junto do ambiente, deixar posicionado o recipiente com água e uma vela e pedir aos participantes que tomem cuidado para não tropeçar nestes dois últimos recipientes. Se possível colocar como fundo musical, sons de animais ou outros sons serenos que representem a natureza.
·         Pedir aos participantes que prestem atenção na água e na vela que está no centro do ambiente e que também se atentem  à areia que estão pisando e aos sons que estão ouvindo (Esse momento de reflexão pode levar entre 5 a 8 minutos, dependendo da participação e do comprometimento dos participantes durante a realização da dinâmica).
·         Terminado o momento para reflexão, ascende-se as luzes e iniciar o debate a partir das perguntas abaixo:

1)      O que você pode sentir a partir da reflexão realizada?
2)      Que papel fundamental a natureza possui em nossa vida?
3)      De que forma a vida de São Francisco provocou mudanças no comportamento humano, tendo como principal foco a questão ambiental?
4)      De que forma podemos interpretar o amor que São Francisco possuía pela natureza?
5)      Quais as formas de valorização e respeito pela natureza que podemos praticar em fraternidade na nossa comunidade?

·         Finalizado o debate, que pode ser em grupo ou individual, os membros podem finaliza-lo cantando o Cântico das Criaturas.


Ø  Oração Final:
ORAÇÃO PELA NATUREZA

Ó Deus, nós te damos graças por este universo, nosso lar; pela sua vastidão e riqueza, pela exuberância da vida que o enche e da qual somos parte. Nós te louvamos pela abóbada celeste e pelos ventos, grávidos de bênçãos, pelas nuvens que navegam e as constelações, lá no alto. Nós te louvamos pelos oceanos, pelas correntes frescas, pelas montanhas que não se acabam, pelas árvores, pelo capim sob os nossos pés. Nós te louvamos pelos nossos sentidos: poder ver o esplendor da manhã, ouvir as canções dos pássaros, sentir o hálito bom das flores da primavera. Dá-nos, rogamos-te, um coração aberto a toda esta alegria e a toda esta beleza, e livra as nossas almas da cegueira que vem da preocupação com as coisas da vida. Alarga em nós o senso de comunhão com todas as coisas vivas, nossas irmãs, a quem deste esta terra por lar, juntamente conosco. Lembramo-nos, com vergonha, de que no passado aproveitamos do nosso maior domínio e dele fizemos uso com crueldade sem limites, tanto assim que a voz da terra, que deveria ter subido a ti numa canção, tornou-se um gemido de dor. Que aprendamos que as coisas vivas não vivem só para nós; que elas vivem para si mesmas e para ti, que elas amam a doçura da vida tanto quanto nós, e te servem, no seu lugar, melhor que nós no nosso. Quando chegar o nosso fim, e não mais pudermos fazer uso deste mundo, e tivermos de dar nosso lugar a outros, que não deixemos coisa alguma destruída pela nossa ambição ou deformada pela nossa ignorância. Mas que passemos adiante nossa herança comum mais bela e mais doce, sem que lhe tenha sido tirado nada da sua fertilidade e alegria, e assim nossos corpos possam retornar em paz para o ventre da grande mãe que os nutriu e os nossos espíritos possam gozar da vida perfeita em ti. AMÉM!




Ø  Proposta de Ação:
Como forma de dar continuidade à formação obtida, a fraternidade pode se organizar para participar ou visitar grupos sociais que têm o objetivo de combater as explorações abusivas e danos ao meio ambiente, como por exemplo Conselho do Meio Ambiente e Secretaria do Meio Ambiente (regime municipal), ONGs Ambientais e outras instituições a favor do Meio ambiente mais próximas para levar e concretizar as ações ambientais em sua comunidade.


Antonio da Silva Oliveira Junior

(Formador do Regional Norte II, Pará/Leste e Amapá)

Sobre Juventude Franciscana JUFRA) do Brasil

A Juventude Franciscana (JUFRA) é uma proposta de vivência cristã destinada a jovens que, por vocação, carisma ou índole, se comprometem com o ideal de vida inspirado na espiritualidade franciscana A JUFRA é, ou deve ser, um monte de gente nesse mundão a fora, que tomou consciência de que: primeiro, deve esforçar-se para melhorar o mundo; segundo, que a melhora do mundo começa a partir de si mesmo; e que é preciso no mundo uma escola que ajude as pessoas a tomarem consciência disso. (Essa escola é a própria JUFRA) A JUFRA tem estilo e características próprias. Por isso nessa fraternidade de jovens, os jufristas assumem todos os deveres e, por conseguinte, gozam de todos os direitos inerentes ao compromisso franciscano de vida secular Segundo o Estatuto da JUFRA do Brasil, ela é uma associação civil com caráter e objetivos dentro exclusivamente dos campos Religioso, Educacional e Social.

Nenhum comentário: