Blog de Formação

CELEBRAÇÃO DE SANTA CLARA



By  Juventude Franciscana JUFRA) do Brasil     18:21     
DE ASSIS E DE HOJE!

Reúne-se a fraternidade em local onde já se encontra exposto o estandarte de Santa Clara ou imagem dela.
 Animador – Prezados irmãos e irmãs, iniciando esta celebração saudemo-nos como São Francisco e santa Clara faziam, dizendo-nos uns aos outros: PAZ E BEM! ( Todos repetem) - Estamos celebrando os 800 anos da fundação da Ordem de Santa Clara, também conhecida como das ”Irmãs Clarissas”.  O estandarte que aqui está, quer nos lembrar que  o espírito de santa Clara continua vivo entre nós. Ela é nossa mãe espiritual. É a santa Clara de Assis e de hoje. Por isso, com alegria franciscana, cantemos um refrão com as palavras que ela mesma escreveu, numa de suas cartas a Santa Inês de Praga: “Não perca de vista seu ponto de partida”! (Cfr. O CD de Santa Clara faixa n. 15. Se não o souberem, pode-se recitar;  ou coloque-se esta faixa num aparelho de tocar CD, e procure-se cantar junto.)
Presidente da celebração -   Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.  Amém.   A graça e o amor de Deus nosso Pai, que iluminou o mundo inteiro com a vida de nossa Irmã Clara, estejam sempre convosco.  Bendito seja Deus, que nos reuniu no amor de Cristo. Estamos reunidos neste amor, que nos foi dado no batismo e que se renova em nossos encontros com Deus e com os irmãos na fé. Queremos aprender de Santa Clara o espírito de entrega generosa de nossas vidas, para andar pelos caminhos a que Deus nos chamou. Somos chamados à santidade, isto é, à união com Deus e ao serviço dos irmãos e irmãs. Estamos seguindo esses caminhos, ou cuidamos só de nosso interesse pessoal?   (Pausa).  Arrependidos porque temos nossas faltas, cantemos:  Todos: - Tende piedade, tende piedade, tende piedade de nós ó Senhor. Tende piedade, tende piedade. Vosso povo é santo mas também é pecador.
Pres.: Deus todo amor e bondade, tenha pena de nossa fraqueza, e vendo nosso arrependimento, perdoe os nossos pecados, e nos conduza para a vida eterna. – Amém.
Oração: Senhor Deus, que iluminais a nossa vida com o exemplo de Santa Clara, dai-nos a graça de perseverar no caminho do bem, e aprender desta Santa, como viver um grande e profundo amor ao Cristo que morreu e ressuscitou por nós, e a reconhecê-lo em nossos irmãos e irmãs, principalmente nos mais necessitados. Por Nosso Senhor Jesus Cristo vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. – Amém. 
Animador – Ouviremos agora uma Leitura, que é um resumo da vida de Santa Clara, para melhor conhecer ou recordar alguns fatos de sua vida maravilhosa. 
Leitor – Santa Clara nasceu no dia 16 de julho de 1194 na cidade de Assis, na Itália. Faleceu na mesma cidade no dia 11 de agosto de 1253. Uma tradição conta que ela recebeu este nome, porque sua mãe teve um sonho  de que ia ter uma filha que iria iluminar, ou seja, “clarear” o mundo inteiro. Pertenceu a uma família nobre e rica e conta-se que era muito bonita. Desde pequena, exercia grande caridade para com os pequeninos e os pobres, aos quais levava alimentos e esmolas. Quando viu o exemplo de Francisco de Assis, jovem abastado que abandonou riquezas, honrarias e vida fácil para abraçar, por amor de Cristo, a mais extrema pobreza, Clara teve uma inclinação irresistível de seguir o mesmo caminho. Era Deus que a chamava para esta forma de vida, uma vida consagrada somente a Ele. Enfrentou a oposição da família, que desejava que ela se casasse com um jovem rico da nobreza, e com isso obtivesse grande projeção social. Aos 18 anos, no domingo de Ramos, no silêncio da noite, acompanhada apenas de uma empregada, fugiu de casa para ir ao encontro de são Francisco e seus confrades na igrejinha da Porciúncula.  Ali Francisco lhe perguntou: “Clara, o que vens fazer aqui?” E ela respondeu: “Venho procurar Deus.” E ali, na igrejinha de Santa Maria dos Anjos, que foi o berço das Ordens franciscanas, Clara trocou suas vestes de riqueza por um hábito grosseiro e pobre, como  sinal de renúncia às vaidades e ao comodismo do mundo .Converteu-se totalmente ao amor apaixonado e exclusivo por  Jesus Cristo,  que dali em diante foi a única e grande paixão de sua vida. De início, Clara foi viver num convento de Irmãs Beneditinas. Logo apareceram várias jovens que vieram fazer-lhe companhia, adotando o mesmo estilo de vida, e a primeira delas foi sua irmã Inês. Quando se tornaram mais numerosas, são Francisco as transferiu ao conventinho de São Damião, junto à igreja que ele mesmo havia reformado no início de sua conversão. Foi assim que surgiu  a Ordem das Damas Pobres, mais tarde chamadas de Irmãs Clarissas. Seu número aumentou rapidamente, e ainda antes de Clara morrer, já havia uns 100 mosteiros espalhados por vários países da Europa.
Uma das qualidades de Santa Clara, que muito impressiona a todos, foi a sua vida de extrema pobreza, e sua rigorosa penitência pessoal. Mas para as Irmãs de sua casa, deu sempre a maior atenção, para que não lhes faltasse nada do que fosse necessário.  Passou muitos anos da vida na doença, causada pela dureza dos jejuns e penitências. Todo este rigor para consigo mesma tinha uma finalidade:   submeter as rebeldias da natureza humana aos valores de uma profunda união com Deus. Pois queria doar-se inteiramente a Jesus Cristo, num amor generoso e cada vez maior. É famosa sua resistência às orientações do Papa, que desejava que a comunidade das clarissas tivesse propriedades, casas e terrenos, para lhes garantir a sobrevivência. Clara sempre recusou. Ela queria viver o “privilégio da pobreza”, pois dessa forma julgava tornar-se mais parecida com Jesus, que também viveu pobre em companhia de sua Mãe Maria e de São José. Dois dias antes de ela morrer, o Papa lhe concedeu esse privilégio. Ela recebeu a notícia um dia depois,  e no outro dia, o 11 de agosto de 1253, veio a falecer, feliz por ter alcançado o que tanto desejava. Sua fama de santidade foi tão grande e os milagres tão numerosos, que foi canonizada apenas dois anos após a morte, no dia 15 de agosto de 1255.
Um dos traços mais marcantes da espiritualidade de Santa Clara é a contínua referência que ela faz a Jesus, o amado esposo, que ela compara a um espelho, no qual devemos olhar continuamente, e nele conferir nossa vida. Na quarta carta a santa Inês de Praga, ela escreve o seguinte: “Olhe dentro desse espelho todos os dias, ó rainha, esposa de Jesus Cristo, e espelhe nele, sem cessar, o seu rosto, para enfeitar-se toda, interior e exteriormente, vestida e cingida de variedade, ornada também com as flores e roupas das virtudes todas, ó filha e esposa caríssima do sumo rei”(1CtIn 15-17).
Há dois acontecimentos famosos na vida de Santa Clara. O primeiro se deu quando o exército dos sarracenos, isto é, dos muçulmanos, estava para invadir a cidade de Assis. Primeiro chegaram ao convento de São Damião, localizado fora dos muros da cidade. As Irmãs ficaram apavoradas, e todas correram para a igreja, pedindo a Jesus Sacramentado que as livrasse desse perigo e da morte. Clara, num gesto de fé e confiança em Deus,  pegou o cibório com as hóstias consagradas e com ele enfrentou o chefe dos sarracenos, dizendo que Jesus era mais forte do que eles. No mesmo instante os agressores ficaram apavorados, e todos fugiram para longe. Por isso em muitas imagens Santa Clara é apresentada segurando um cibório ou o ostensório com o Santíssimo. E pelo fato de haver afugentado os invasores, salvou Assis de ser destruída. Por isso  foi mais tarde proclamada padroeira da cidade. Outro fato interessante é o seguinte: Na festividade de Natal do ano anterior à sua morte, Clara desejava muito participar da celebração, onde se encontravam Francisco e seus Irmãos. Não podia comparecer, porque estava acamada, com doença grave. Mas por graça especial de Deus, presenciou toda a cerimônia,  do leito em que se encontrava, mesmo estando bem longe do local da celebração. Por causa desse acontecimento, a 14 de fevereiro de 1958  o papa Pio XII a proclamou  padroeira da televisão. 
As Irmãs Clarissas são em número de umas 21.000, espalhadas pelo mundo inteiro. Só no Brasil temos 20 mosteiros dessas Irmãs,  que procuram viver conforme o exemplo e a regra de vida de santa Clara. As Irmãs Clarissas, como todas as Irmãs contemplativas, consagram sua vida ao amor de Jesus
Cristo, levam uma vida de oração e de trabalho, exercitando-se diariamente no amor a Deus e aos Irmãos e Irmãs.  Representam uma grande força dentro da Igreja. São desconhecidas por muita gente no mundo, porque levam avida fechada numa clausura, isto é, num recinto fechado. Mas elas são  uma preciosa energia que abastece a comunidade Igreja com os dons da fé e do amor. Com suas orações, alcançam numerosas graças para o Povo de Deus.  - Este é, irmãos e irmãs, um resumo da vida de Santa Clara. – Graças a Deus.
SALMO DE RESPOSTA ( CD de Santa Clara, faixa 3).
Refr.: Eis que vem o Esposo! Ide ao encontro do Cristo Senhor.
Sl 44 -  1. Escutai, minha filha, olhai, ouvi isto:/ Esquecei vosso povo e a casa paterna!/ Que o Rei se encante com vossa beleza!/ Prestai-lhe homenagem: é vosso Senhor!
2. O povo de Tiro vos traz seus presentes, / Os grandes do povo vos pedem favores./ Majestosa, a princesa real vem chegando, / Vestida com ricos brocados de ouro. 
3. Em vestes vistosas ao Rei se dirige, / E as virgens amigas lhe formam cortejo; / Entre cantos de festa e com grande alegria, / Ingressam então no palácio real.
ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO (CD faixa 4) -  /:Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia.:/ V. -  Vinde, vós que sois esposa digníssima de Jesus Cristo / e por isso rainha nobilíssima.
EVANGELHO ( Mt 6, 19-21) 
Pres.:  O Senhor esteja convosco.  Ele está no meio de nós. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus. Glória a vós, Senhor.   – Naquele tempo,  Jesus disse a seus discípulos: “Não ajunteis riquezas na terra, onde a traça e a ferrugem as corroem, e os ladrões assaltam e roubam. Ajuntai tesouros no céu, onde nem traça nem ferrugem coroem,  onde os ladrões não arrombam nem roubam. Pois onde estiver vosso tesouro, ali também estará o vosso coração.” – Palavra da Salvação. Glória a vós, Senhor.  ( Convém que haja pequena homilia ou comentário. Se não houver, fazer uma pausa com silêncio, para reflexão individual.)
     CANTO – Clara, tu és a mais serena das Irmãs ( CD faixa 11 )
Refrão -  /:Clara, tu és a mais serena das Irmãs. / Clara, tu falas da beleza das manhãs.:/ 
1.Tu és ternura, canto de Deus teu Criador. / Tu és o sonho, és a morada do amor. / Te amo Clara, porque és paz e humildade; /És presença frutuosa, porque és serenidade.
 2. Tu és perfume, raio de luz resplandecente./ Tu és a fonte, tu és a estrela e semente./ Te canto, Clara, porque és chama vigorosa,/ és espelho que reflete, como a fonte generosa.
 PRECES
 Pres.:  Clara confiava a vida e o sustento de suas Irmãs à Providência e à bondade de Deus, que é Pai e nunca abandona seus filhos e filhas. Inspirados na confiança desta mãe espiritual, elevemos a Deus a nossa oração.
 Leitor -  1. -    Pela santa Igreja e por todos que têm a difícil missão de conduzir os seres humanos no mundo de hoje, para que se deixem iluminar pelo Espírito do Bem e da Verdade, e para ele conduzam toda a humanidade, rezemos ao Senhor. – Senhor,  escutai a nossa prece.
2.  Para que todas as pessoas tenham o coração aberto ao Evangelho de Jesus Cristo e procurem segui-lo, imitando o espírito de coragem e generosidade de santa Clara, rezemos ao senhor.
 3. Pelas Irmãs Clarissas do mundo inteiro, para que estas celebrações lhes aproveitem para a vida interior, rezemos ao Senhor.
 4. Por todas as Ordens Franciscanas, para que deem ao mundo  o testemunho de querer seguir o Cristo, no amor e na fidelidade à vocação, rezemos ao Senhor.
 5. Para que despontem vocações para as Ordens franciscanas, e que essas vocações colaborem com a graça de Deus, de forma que possam obter o dom da perseverança, rezemos ao Senhor.
Pres.: Senhor Deus, olhai esta família reunida em oração, para render-vos o devido louvor nas comemorações de santa Clara. Dai-nos, por sua intercessão,  a graça de conhecer-vos e amar-vos cada vez melhor, a fim de cumprirmos na terra nossa missão, que é a de colaborar na construção de vosso Reino. Por Cristo Nosso Senhor. Amém. 
    
BÊNÇÃO DE SANTA CLARA
 Pres.: O Senhor todo poderoso vos abençoe, volte para vós os Seus olhos misericordiosos, e vos dê a Sua paz. Amém.  - Derrame sobre vós as Suas graças em abundância, e no céu vos coloque entre os Seus santos. Amém. - Que o Senhor esteja sempre convosco, e que vós estejais sempre com Ele. Amém. 
Animador: Encerramos esta celebração com um hino a Santa Clara: Escolhendo a vida ( CD faixa 14)
1. Escolhendo a vida de trabalho e convivência, / foi a terra boa de um jardim que se firmou. 
Refrão : Clara, como o sol, iluminou o meu caminho: / Deus está aqui! Que digam “sim” os passos meus.
2. Fonte de ternura, acolhimento e reverência, / Aprendeu dos pobres que a partilha é o dom maior.
3. Longe de honrarias, quis falar pelo silêncio: / Um perfume bom que se espalhou por nosso chão. 

Santa Clara,  rogai por nós, intercedei a Deus por nós.

COLABORAÇÃO: Frei Wellington Buarque, ofm (Assistente Espiritual Nacional)

Sobre Juventude Franciscana JUFRA) do Brasil

A Juventude Franciscana (JUFRA) é uma proposta de vivência cristã destinada a jovens que, por vocação, carisma ou índole, se comprometem com o ideal de vida inspirado na espiritualidade franciscana A JUFRA é, ou deve ser, um monte de gente nesse mundão a fora, que tomou consciência de que: primeiro, deve esforçar-se para melhorar o mundo; segundo, que a melhora do mundo começa a partir de si mesmo; e que é preciso no mundo uma escola que ajude as pessoas a tomarem consciência disso. (Essa escola é a própria JUFRA) A JUFRA tem estilo e características próprias. Por isso nessa fraternidade de jovens, os jufristas assumem todos os deveres e, por conseguinte, gozam de todos os direitos inerentes ao compromisso franciscano de vida secular Segundo o Estatuto da JUFRA do Brasil, ela é uma associação civil com caráter e objetivos dentro exclusivamente dos campos Religioso, Educacional e Social.