Blog de Formação


By  Juventude Franciscana JUFRA) do Brasil     08:59     
SANTA ROSA DE VITERBO: EXEMPLO DE JOVEM E DEVOÇÃO

"Em Santa Rosa, vemos um exemplo dessa adesão generosa e total à chamada divina. Em sua curta vida, a convicção heroica com a qual era capaz de aceitar em sua vida a Palavra de Deus nos torna conscientes da extensão e intensidade com que ela viveu a sua lealdade incondicional de Deus. (João Paulo II).


Volta e meia é importante relembrar um pouco da história de uma santa muito venerada na Igreja Católica e principalmente por nós, franciscanos e jufristas, afinal, a Santa Rosa de Viterbo é a Santa Padroeira da Juventude Franciscana. Então, vamos relembrar um pouco a história dessa menina, que apesar do pouco tempo que permaneceu entre nós, foi abençoada com uma espiritualidade franciscana inigualável. 
Apesar de se ter pouca certeza acerca da vida de Rosa, acredita-se que ela nasceu por volta de 1234 na cidade de Viterbo; seus pais, cristãos fervorosos, tiveram importante influência em sua fé, principalmente sua mãe, que trabalhava com as Irmãs Clarissas e foi no mosteiro das Irmãs que Rosa se aproximou e apaixonou pelo ideal franciscano. Além disso, Rosa tinha profunda devoção ao Senhor e à Virgem Maria. Entretanto, o que tornou Rosa notável e memorável foi o dom que possuía de fazer milagres desde muito pequena; por volta dos doze anos Rosa ingressou na Ordem Terceira de São Francisco, por conta de uma visão em que Nossa Senhora lhe determinava.
Depois de um tempo, a cidade de Viterbo se viu governada pelo imperador Frederico II, o qual negava a autoridade do Papa e o poder do sacerdote em perdoar os pecados e consagrar. Diante disso, Rosa mais uma vez teve uma visão, onde via Cristo com o coração em chamas; decidiu então sair pela cidade a pregar com o crucifixo. O prefeito decidiu condenar ela e sua família ao exílio e no dia 5 de dezembro 1251, um anjo lhe visitou e revelou que o imperador Frederico II morreria em uma semana, o que de fato aconteceu. No dia 6 de março de 1252, sem agonia, ela morreu. No mesmo ano o Papa Inocêncio IV solicitou o processo de canonização para Rosa e cinco anos depois mandou exumar o corpo, o qual ainda estava intacto para a surpresa de todos. Ela acabou sendo canonizada pelo povo, pois o processo nunca foi promulgado, apesar da Igreja e o Papa não negarem sua canonização.
Santa Rosa de Viterbo é festejada no dia de sua morte, 6 de março, junto com o dia do jufrista, mas também é lembrada dia 4 de setembro, data a qual se comemora o dia do seu translado para o mosteiro de Clarissas de Santa Rosa, em Viterbo, Itália. Santa Rosa reúne uma quantidade de devotos significativa ao redor do mundo, afinal, foi uma jovem revolucionária e esperançosa para sua época, portanto não é de se estranhar que seja a Padroeira dos Jovens Franciscanos Seculares. Assim, nesse 4 de setembro proponho a todos nós jufristas refletir a importância da existência de Rosa e o quanto devemos nos espelhar no jeito perseverante que via o mundo e a fé inabalável que possuiu.

                        
                        Por Amanda Corrêa Rocha – Formadora Regional Sul 3.


REFERÊNCIAS

Sobre Juventude Franciscana JUFRA) do Brasil

A Juventude Franciscana (JUFRA) é uma proposta de vivência cristã destinada a jovens que, por vocação, carisma ou índole, se comprometem com o ideal de vida inspirado na espiritualidade franciscana A JUFRA é, ou deve ser, um monte de gente nesse mundão a fora, que tomou consciência de que: primeiro, deve esforçar-se para melhorar o mundo; segundo, que a melhora do mundo começa a partir de si mesmo; e que é preciso no mundo uma escola que ajude as pessoas a tomarem consciência disso. (Essa escola é a própria JUFRA) A JUFRA tem estilo e características próprias. Por isso nessa fraternidade de jovens, os jufristas assumem todos os deveres e, por conseguinte, gozam de todos os direitos inerentes ao compromisso franciscano de vida secular Segundo o Estatuto da JUFRA do Brasil, ela é uma associação civil com caráter e objetivos dentro exclusivamente dos campos Religioso, Educacional e Social.

Nenhum comentário: