Blog de Formação

Luquésio e Buonadonna



By  Juventude Franciscana JUFRA) do Brasil     20:23     

Considerados como precursores da “ordem terceira” por muitos, devido a fazerem parte dos primeiros irmãos casados que desejavam viver o ideal franciscano de vida, a verdade é que são poucas as fontes sobre a história deste casal. O que sabemos é que Luquésio nasceu em Gaggiano por volta do ano de 1181 (mesmo ano de S. Francisco). Tentou a glória militar, participando do partido dos Gibelinos (do imperador) e depois dos Guelfos (do Papa). Não obtendo êxito, resolveu se dedicar ao comércio. Acabou conhecendo Buonadonna em Poggibonzi e, juntos, prosperaram em termos materiais e conquistaram uma vida repleta de riquezas, porém vazia de espiritualidade.
Conta-se que eles estocaram trigo ao saber de uma crise que estava por vir. Durante a crise, eles venderam o trigo a preços exorbitantes e se tornaram ainda mais ricos por meio da exploração dos outros. Mas essa vida de riquezas não os satisfazia completamente. Foi Luquésio o primeiro a iniciar seu processo de conversão ao ouvir as palavras de Francisco, que pregava pela redondeza instigando os homens a largarem suas riquezas e seguirem o evangelho de Jesus Cristo.
Luquésio começou a fazer o que as palavras do pobrezinho de Assis convidavam. Vendeu propriedades e repartiu entre os que tinha ludibriado no comércio e também partilhou seus bens com os pobres. Mas sua esposa ainda não tinha iniciado sua conversão e por isso não compreendia as atitudes do marido. Nesse sentido, a tradição conta que uma vez Luquésio pede a sua esposa que dê alguns pães para vários pobres que batiam à sua porta. Buonnadonna verificou que a arca de pão estava vazia, porém Luquésio insistiu lembrando do exemplo do Evangelho em que Jesus saciou a fome de milhares de pessoas com apenas cinco pães e dois peixes. “Vai pensando Nele e traze-me os pães”, após estas palavras Buonna abre novamente a arca e eis que se fez o milagre. A partir desse momento ela também é iluminada pela mensagem evangélica e os dois buscam São Francisco para manifestar o desejo de seguir a vida franciscana.
Diz-se que São Francisco já estava pensando em criar uma ordem especial para os casados, de maneira que vivessem os ensinamentos do evangelho sem necessidade de ingressar num convento. É bem verdade que o casal pode não ter sido o primeiro a buscar São Francisco, mas foram os primeiros a alcançar a glória do altar, pois logo após sua morte começou o culto e a devoção popular. Inclusive conta-se que os dois faleceram juntos, após estarem acometidos de doença e receberem o sacramento da extrema unção do Pe. Hildebrando. Dessa forma, eles teriam cumprido não apenas a missão evangélica e franciscana como também teriam completado a missão do matrimônio cristão, sendo um só corpo e um só espírito até o fim.
Muitos milagres ocorreram, inclusive durante o funeral, após a morte do casal. Isso gerou uma grande conversão das pessoas da cidade e criou uma fama de santidade em torno daqueles que passaram a ser sinônimos de bem-casados. Em 1274, conta-se que o Papa Gregório X resolveu fazer um teste e mandou atirar a cabeça de Luquésio às chamas, a qual saltou e foi parar nos joelho do Papa. Após este milagre, o culto a Luquésio passou a ser autorizado pela Igreja. Mas foi somente em 1694 que o Papa Inocêncio XII concedeu a beatificação de Luquésio e Buonadonna, e seus nomes foram registrados para serem celebrados no dia 28 de Abril.

Dessa forma, eles se tornaram um grande exemplo para a vivência do franciscanismo de maneira secular, inseridos no mundo. Foi a partir dessa coragem em aceitar e promover uma mudança de atitude e de vida que muitos outros continuam se sentindo inspirados em ingressar na OFS e na JUFRA.

                                                                    Elvis Neris de Medeiros
                                                        Secretário Regional de Formação NE A3 (RN/PB)

Sobre Juventude Franciscana JUFRA) do Brasil

A Juventude Franciscana (JUFRA) é uma proposta de vivência cristã destinada a jovens que, por vocação, carisma ou índole, se comprometem com o ideal de vida inspirado na espiritualidade franciscana A JUFRA é, ou deve ser, um monte de gente nesse mundão a fora, que tomou consciência de que: primeiro, deve esforçar-se para melhorar o mundo; segundo, que a melhora do mundo começa a partir de si mesmo; e que é preciso no mundo uma escola que ajude as pessoas a tomarem consciência disso. (Essa escola é a própria JUFRA) A JUFRA tem estilo e características próprias. Por isso nessa fraternidade de jovens, os jufristas assumem todos os deveres e, por conseguinte, gozam de todos os direitos inerentes ao compromisso franciscano de vida secular Segundo o Estatuto da JUFRA do Brasil, ela é uma associação civil com caráter e objetivos dentro exclusivamente dos campos Religioso, Educacional e Social.

Um comentário:

Unknown disse...

Louvado seja meu Senhor pelo primeiro casal franciscano secular Luquésio e Buonadonna!