Blog de Formação

A RECICLAGEM DO "SER"



By  Juventude Franciscana JUFRA) do Brasil     23:07     

A lógica do descarte, que parece ser direcionada apenas às “coisas” é, hoje, o jeito pelo qual as pessoas se tratam e, o pior: o jeito pelo qual o mundo espera que você (!) trate as pessoas. 

Amores líquidos¹, amizades efêmeras, contatos rápidos, conversas superficiais, risadas forçadas, interações pré-programadas... Trejeitos robóticos que inundam nosso cotidiano e fazem o silêncio do quarto escuro lembrar da solidão que é estar num mundo em que a sua essência não é tão relevante assim. Não à toa cresce exponencialmente o número de jovens que se fecham às próprias dificuldades e, desse abismo, não enxergam o horizonte florido que, com certeza, existe. 

É difícil, mesmo. Num panorama como o atual, em que pessoas não são mais que números, é simples acreditar estar sozinho, buscar ao redor uma mão que ampara e, ao invés disso, ver apenas a mão que apedreja. É fácil julgar. É fácil (pré) conceituar o que se vê pela primeira vez, o que se vê e não se enxerga. Difícil é olhar aos olhos de Deus, que apresenta um amor puro e verdadeiro, sem julgamentos, mas com afeto, amparo e cuidado. 

Deus não descarta, nunca. 

Deus recicla. 

Ele quer a melhor versão de nós mesmos e não se importa se ainda não atingimos esse estado. Ele espera, insiste, acredita. Nos dá tudo o que o mundo nos tira. 

E, o melhor: Ele também nos ensina a ser assim!


Tem, por aí, gente que não entende muito bem, que distorce esse sentimento tão autêntico e divino pra justificar (e fazer refletir nos outros) os próprios medos e as próprias inseguranças. Mas tudo bem, entende? Essa é a lógica. Para Deus, tudo bem. Os braços celestiais estão sempre abertos, sem distinção, sem julgamentos, sem descarte. 

Ele mesmo ensinou que “o amor tudo crê, tudo espera, tudo suporta” (Coríntios 1: 1-13) e é assim que nos ensina a viver. Na contramão da lógica do mundo, quem vivencia o amor d’Ele entende que é melhor (e até mais fácil) perdoar, identificar as inúmeras qualidades existentes em cada pessoa, sorrir, abraçar, amar, prestar atenção no outro – e o “outro” pode ser uma mãe, um tio distante ou um desconhecido na rua, não importa, todos são igualmente importantes.

Esse amor que é capaz de reciclar, de dar uma segunda chance, de parar a caminhada na direção oposta e voltar a correr junto, na sua forma mais genuína, não representa o sentimento a alguém especificamente, mas a tudo! Foi isso que aquele Deus que se fez homem, tão importante que recomeçou a contagem do tempo, nos ensinou. 

O amor se constrói em tudo, para tudo, apesar de tudo. É esse o segredo! Olhar mais, amar mais. É conseguir sentir essa energia tão intensa na gota do orvalho escorrendo na folha verde, na abelha que pousa soberana no arbusto florido pela primavera, no sol quando toca o mar ao fim da tarde e faz descer a sombra nos elementos que completam a paisagem. 

É aí que Ele mora, aí que se faz perfeito o amor. Quem se permite sentir esse Amor, não sente mais a solidão do quarto escuro. Mas, se as circunstâncias da vida fizerem a luz não mais iluminar, tudo bem – é a lógica! Ele não descarta, Ele recicla. 

Sejamos estrangeiros² aqui, não obedeçamos à imposição de um método que não se preocupa com os sentimentos no âmago de cada ser. O Céu é o nosso lugar! Que a vida na terra seja a mais harmônica possível, porque, assim, Ele nos espera lá em cima. E, pra isso, que sejamos amor. Que não descartemos. Que voltemos nossa atenção para reciclar: nossos sonhos perdidos, as amizades deixadas para trás, os parentes afastados, o mundo! Por que não? 

Nos quatro cantos existe quem só precisa da nossa mão estendida, do nosso olhar sincero, do nosso sorriso amigo. Seres que precisam, apenas, da reciclagem do “ser”. 

Que tenhamos a coragem de ir na contramão. 

Que São Francisco nos inspire a sermos pequenos, a nos despojarmos do que não acrescenta e focarmos naquilo que importa - o amor. 

Não tem segredo: Sejamos Amor!  


Primeiros dias da primavera de 2017,
Gabriela C. Nabozny.


[1] BAUMAN, Zygmunt. Amor líquido, Sobre a fragilidade dos laços humanos. Rio de Janeiro: Zahar. 2004.
[2] BIONDO, Leonardo. Estrangeiro Aqui. In: CD Estrangeiro Aqui – Missionário Shalom. 2006. Faixa 5.


"Que possamos usar do tempo do advento para refletir sobre nossos ideais, nossos projetos e sonhos, para que, com o Nascimento Jesus, também nós possamos renascer no Amor! 
Paz e Bem!"

FONTE:https://jufrasc.blogspot.com.br/2017/12/a-reciclagem-do-ser.html?m=1  

Sobre Juventude Franciscana JUFRA) do Brasil

A Juventude Franciscana (JUFRA) é uma proposta de vivência cristã destinada a jovens que, por vocação, carisma ou índole, se comprometem com o ideal de vida inspirado na espiritualidade franciscana A JUFRA é, ou deve ser, um monte de gente nesse mundão a fora, que tomou consciência de que: primeiro, deve esforçar-se para melhorar o mundo; segundo, que a melhora do mundo começa a partir de si mesmo; e que é preciso no mundo uma escola que ajude as pessoas a tomarem consciência disso. (Essa escola é a própria JUFRA) A JUFRA tem estilo e características próprias. Por isso nessa fraternidade de jovens, os jufristas assumem todos os deveres e, por conseguinte, gozam de todos os direitos inerentes ao compromisso franciscano de vida secular Segundo o Estatuto da JUFRA do Brasil, ela é uma associação civil com caráter e objetivos dentro exclusivamente dos campos Religioso, Educacional e Social.

Nenhum comentário: